Museu conversa com o Coletivo Testemunhos da Pandemia
21 de abril de 2022

Roda de Conversa: O Museu das Memórias (In)Possíveis conversa com o Coletivo Testemunhos da Pandemia

Evento gratuito
Dia: 16 de maio (segunda-feira)
Hora: 20h 

É tempo de falar sobre o luto pela Covid-19?

É tempo de falar sobre o luto pela Covid-19

É tempo de falar sobre o luto 

É tempo de falar sobre

É tempo de falar

É tempo

É 

“Eu não disse nada. Eu precisava dizer.” 

Entre os dias 16 e 22 de maio, a Semana Nacional de Museus (SNM), que é uma ação da Política Nacional de Museus, chega à vigésima edição com o tema O poder dos museus

O coletivo Testemunhos da Pandemia junto com o Museu da Memórias (In)possíveis, inscreve seu trabalho, nesta semana, apostando no poder/potência do museu como um espaço da memória daquilo que o espaço público, no Brasil, tenta, insistentemente, apagar. O Museu da Memórias (In)possíveis é fundado na ética da psicanálise e tem por objetivo desenterrar histórias e memórias das vidas e histórias tornadas invisíveis, sujeitas à morte provocada por uma negligência sistêmica por parte do poder público.

O convite para este dia 16 de maio de 2022 é abrir um espaço de escuta sobre o que tem nos impactado neste período pandêmico, que tem como agravante um governo genocida, que não apenas desampara, mas ironiza a dor sofrida pelas inúmeras perdas pela Covid-19 em um ato contínuo de desumanização e barbárie. 

Uma parada necessária e urgente na tentativa de resistir ao descaso, à indiferença, ao cinismo, ao ódio, ao horror da imposição do esquecimento e do apagamento de todo e qualquer sofrimento referente às mortes por Covid. Alguns significantes se emprestam a este trabalho de compartilharmos e acompanharmos os ecos e suas reverberações: luto, testemunho, revolta, genocidio, memória, trauma, coletivo.  

O “luto” tornou-se outro e, incontestavelmente, com o outro. Expandiu-se, ramificou-se, coletivizou-se. No entanto, é calado. Emudecido. Silenciado. Destituído. Nós também mudamos, mesmo que a gente não reconheça ou perceba, já não somos os mesmos. Os soldados que retornam da guerra marcam bem essa diferença: há um antes e um depois. Infelizmente não podemos ainda nos dizer “pós-pandêmicos”, adjetivo tão ansiosamente sonhado. Mas podemos ofertar um lugar ao vazio, nos demorarmos um pouco nesse agora. Principalmente porque todos nós perdemos. E perdemos muito e muitos.

Esta roda de conversa torna público o encontro entre o “Coletivo Testemunhos da Pandemia” e o Museu das Memórias (In)Possíveis e convida a todos(as) a instituir um espaço/tempo para escutarmos o que “precisamos dizer!”. Que este momento nos sirva para a reflexão sobre o luto e a luta que tem marcado nossas vivências individuais e coletivas neste país, é o nosso desejo. 

Inscreva-se aqui: https://www.sympla.com.br/evento-online/roda-de-conversa-o-museu-das-memorias-in-possiveis-conversa-com-o-coletivo-testemunhos-da-pandemia/1551889